Gérard Dubois

5 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Linda!
Eu, sempre que leio, fico assim com gatos ao lado! :-))
Só que ainda ninguém me pintou...

Abraço

Patty disse...

Estará a semear palavras?...

António disse...

Esta gravura merece reflexão porque apresentamos um mundo fantástico e inverso. Eu explico: Se as letras de um livro, de repente, pudessem levitar como acontece neste quadro, quem (entre o homem e o gato) deveria ficar admirado? Naturalmente, seria o homem, pois tal fenómeno não seria explicável à luz de todas as leis físicas conhecidas da humanidade. Para o gato isso seria pouco mais do que irrelevante. No entanto, na imagem, dá-se o contrário. É o gato que se espanta com tal ousadia por parte das letras, ao passo que o homem tenta apanhar as letras, como quem já presenciou esta cena outras vezes e a considera, pois, "normal".

cduxa disse...

DESTINO DO POETA

Palavras? Sim. De ar
e perdidas no ar.
Deixa que eu me perca entre palavras,
deixa que eu seja o ar entre esses lábios,
um sopro erramundo sem contornos,
breve aroma que no ar se desvanece.
Também a luz em si mesma se perde.

Octavio Paz

Lu disse...

Lo gato, que ouvir as palavras do velho sábio